Advertências

AdvertênciasAdvertências

1. Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.
2. *Imagens meramente ilustrativas.*
3. É necessário dieta e exercícios físicos para auxiliar a redução de peso.
4. Pessoas com hipersensibilidade à substância não devem ingerir o produto.
5. Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.
6. Não use o medicamento com o prazo de validade vencido.
7. Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.
8. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
9. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
10. Este medicamento não deve ser utilizado por menores de 18 anos sem orientação médica.
11. Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica.
12. O uso do medicamento durante o período de amamentação também não é recomendado.
13. Sugerimos que consulte seu médico para mais esclarecimentos.
14. Diabéticos, pessoas com problema cardíaco, dores de cabeça, problemas de tiróides, pressão alta, depressão, próstata aumentada, glaucoma ou com condições psiquiátricas devem consultar o médico antes de tomar esse produto.
15. "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO"

Prescrição escrita de medicamento controlados, contendo orientação de uso para o paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado, quer seja de formulação magistral ou de produto industrializado só é liberada mediante retenção de receita. Conforme Portaria n.º 344, de 12 de maio de 1998.

O estabelecimento farmacêutico deve assegurar ao usuário à informação e orientação quanto ao uso dos medicamentos solicitados por acesso remoto" RDC 44 de 17 de agosto de 2009, Artigo 58.

A manipulação de medicamentos controlados só poderá ser dispensada mediante a retenção da receita original e substâncias alopáticas mediante a sua apresentação prescrita por profissional legalmente habilitado, conforme portaria 344/98 e RDC 67/07
Atendimento
  • Vendas / Atendimento
    Televendas: (11) 3383-9400
  • SAC: (11) 98848-1737
Buscar no site
  • (11) 98927-3061 - Debora/Receita
  • (11) 99494-4771 - Maicon
  • (11) 99390-6742 - Roseli
  • (11) 98848-1737 - SAC
Solicitar Ligação

Cavalinha 500mg - 60 Cápsulas

Código:
198
Opinião dos Consumidores:0

De: R$ 70,38Por: R$ 58,80

Preço a vista: R$ 58,80

Economia de R$ 11,58

-
1
+Comprar

Cavalinha 500mg



Equisetum giganteum L. é um subarbusto ereto, perene, rizomatoso, com haste de cor verde, oca e monopodial, com numerosos ramos que partem dos nós dos verticilos, de textura áspera ao tato pela presença de silício em sua epiderme, de 80 - 160cm de altura. As folhas são verticuladas e reduzidas a pecíolos soldados que formam uma bainha membranácea. A haste fértil tem no ápice uma espiga oblonga e escura que contém grande quantidade de esporos. Multiplica-se tanto por rizomas como por esporos.

É nativa de áreas pantanosas de quase todo o Brasil sendo amplamente utilizada na medicina caseira de longa data em toda a América do Sul, inclusiva no Brasil especialmente nas regiões sul e sudeste, sendo praticamente desconhecida do nordeste. A Cavalinha apresenta ação adstringente, diurética e estíptica, sendo empregada também para o tratamento da gonorréia, diarréias e infecções dos rins e bexiga e, na forma de tintura em uso interno e externo, para estimular a consolidação de fraturas ósseas.

Para uso como diurético, e tratamento das afecções dos rins e da bexiga, contra hemorragias nasais, anemia, para calcificação de fraturas, bem como para eliminar o acido úrico. Na composição química dessa espécie e de outras tem sido registrado a presença dos alcalóides piridinicos, nicotina e palustrina, dos flavonóides glicosilados da apigenina, quercetina e do campferol e de vários derivados do ácido clorogênico, cafêico e tartárico. O amplo emprego dessa planta nas práticas caseira da medicina popular e na indústria de fitoterápicos é motivo suficiente para sua escolha como tema de estudos químicos, farmacológicos e clínicos, inclusive teses, visando completar sua validação como medicamento eficaz e seguro.

A cavalinha é obtida dos caules aéreas de Equisetum arvensi (Equisetaceae) A cavalinha contem princípios ativos, sais minerais, acido silícicos, ácido aquisético, ácido málico, ácido oxálico, ácido ascórbico acilglicérideos de ácido esteárico, oléico, linoleico e linolenico. Alcalóides (piridinicos, nicotina e palustrina), flavonóides glicosilados da apigenina, quercetina, isoquercetrina, equissetrina e galuteolina e canferol, e derivados do ácido clorogênico, cafêico e tartárico, esteroides (beta-sitosterol, campestrol, isofucosterol e colesterol, vitamina C e minerais (Ca, Mg, Na, F, Mn, S, P, Cl K, etc.) Também se constatou a presença da tiaminase, uma enzima que acelera a destruição da tiamina também chamada de vitamina B1 ou aneurina.

Indicação:

- Diurética;
- Elimina substâncias tóxicas;
- Tem ação antiinflamatória;
- Auxilia no tratamento de infecções moderadas do trato urinário;
- Auxilia no tratamento de problemas respiratórios, reumáticos e cardiovasculares.

Referências:
ALONSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. Isis Ediciones. 1998.
LORENZI, H., MATOS, F.F.A., Plantas Medicinais no Brasil. Nativas e Exóticas.
Instituo Plantarum de Estudos da Flora Ltda, 2002.
1. BATISTUZZO, J.A.O., ITAYA, M., ETO, Y. Formulário Medico Farmacêutico. 3ed, São Paulo: Pharmabooks, 2006.
2. AVILA, J.R. et al. Medicina Alternativa. 1ª ed, Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2000.
Venda sob prescrição de profissional habilitado, podendo este ser o nosso farmacêutico de acordo com a Resolução 585/2013 do Conselho de Farmácia. Consulte-o!.

Cavalinha 500mg

Sobre o produto

Quem viu, viu Também